Meu intercâmbio na mídia

Há um tempo, fui procurada pelo pessoal da TV Brasil para contar como foi a experiência de morar na Alemanha por um semestre.  Claro, fiquei morrendo de vergonha de dar a entrevista (apesar de ser jornalista, hehe), mas foi bom relembrar meu período de intercâmbio.

 

 

 

Balanço de intercâmbio – parte I

Infelizmente não cumpri o objetivo de registrar com detalhes minha experiência de intercâmbio aqui no blog. Vamos combinar, é compreensível, afinal era tanta coisa para conhecer, viver, fazer, que esse projeto aqui ficou de lado.

Ainda recebo emails, comentários e mensagens de Facebook de gente que viu o blog, que tem dúvidas e que até acha que ainda estou em Giessen. Como uma obrigação com o leitor (se você estiver mesmo aí) e comigo mesma, devo esclarecer que já voltei pra Brasília e fazer um balanço da minha grande viagem.

Regressei ao meu país num sábado quente e ensolarado como nunca mais tinha visto desde minha viagem à Europa. Em meio a lágrimas de alegria ao avistar o formato do avião no solo (minha esplendorosa cidade), desembarquei em terras candangas no dia 4 de março. Mas antes disso, devo dizer, muita coisa aconteceu, especialmente, eu andei bastante pelo velho mundo.

Tive sorte e esperteza de montar uma grade horária de matérias que deixasse os dias de segunda e sexta-feira livres. Então, em meus fins de semana de quatro dias fiz algumas viagens ao estrangeiro: Portugal (Porto, Braga e Guimarães), Itália (Roma), Espanha (Madri), Inglaterra (Londres e Stonehenge) e França (Paris).

Na querida Alemanha, conheci, além do que já foi mencionado em postagens passadas (Frankfurt, Marburg, Kassel, Wiesbaden), Hamburgo, Munique e o fabuloso castelo Neuschwanstein, perto de  Füssen. Voltei à Marburg outras três vezes quando minhas amigas Marília e Carol me visitaram e outras duas vezes quando meu namorado me visitou.

Depois que o semestre de aulas terminou (passei em todas as matérias – ufa!), viajei com minha amiga Marília para marcar outros pontinhos no mapa em quinze dias: Suécia (Estocolmo), a capital alemã finalmente (Berlim), República Tcheca (Praga), Áustria (Viena), Hungria (Budapeste) e Suíça (Genebra). Foram muitos lugares belos, diferentes e inesquecíveis.

De volta à pequenina Giessen, tive um dia para desocupar meu quarto e depois disso fui hospedada pela minha amiga gaúcha Ana Paula. Não tive tempo para me despedir de todos os lugares que queria, mas pude fazer compras, passear e respirar o ar frio alemão por uma das últimas vezes. Que fique gravado que serei eternamente grata a Ana Paula I, não só pela hospedagem, mas também pela amizade, por ter me emprestado a bota de neve que salvou meus pezinhos do frio de Estocolmo e dos outros países, além é claro, por ter me ajudado a levar minhas pesadas malas ao aeroporto de Frankfurt.

Promessa é dívida, não é mesmo? Então, prometo que o resto desse balanço chega ao blog (algum dia). Não consegui nem passar todas fotos para o computador ainda, mas coloco algumas aí em baixo. O resto vem em breve!

beijos beijos

Pequenas viagens

Agora que estou de recesso, pintou uma vontade de registrar algo aqui, então, antes que eu me esqueça, porque já se passou bastante tempo, vou escrever sobre cidades que visitei na Alemanha.

Marburg só posso definir como “uma gracinha”. Eu fui lá com a Tajla (uma amiga que também faz intercâmbio aqui), mas certamente quero voltar lá com meu namorado. A cidade transparece romantismo por toda parte: é cheia de ruas, casas e paisagens antigas e lindas, além de um encantador castelo (o Landgrafenschloss) no alto da montanha. O rio Lahn margeia o lugar e é um charme a parte: nele você encontra cisnes e patos; é possível andar de pedalinho; e há uma “ponte do amor” em que os casais colocam cadeados com seus nomes. A Elisabethkirche (Igreja de santa Elisabeth) é do estilo gótico e vale à pena conhecer. No Klingelhöfer, eu que normalmente não gosto de sopa, comi a melhor sopa da minha vida! Era de abóbora e vinha dentro de um pão redondo delicioso.

Visitei Kassel junto com duas amigas, a Bia e a Tajla. Saindo da Bahnhof (estação de trem), andando mais um pouco, a gente encontra o Fridericianum Museum e andando na mesma direção está o Orangerie Museum – todos dois são bonitos e tem paisagens lindas ao redor. Em Kassel também encontrei cenário belos visitando o monumento do Herkules e os castelos Löwenburg e Wilhelmshöhe – a caminhada é longa, já que o Hérkules fica no alto de uma escadaria enorme, mas compensa. Duas coisas que não tive tempo de ver foram o Planetário e o Museu dos Irmãos Grimm (eles eram de lá) :/.


Wiesbaden é a capital do estado de Hessen e nunca vi paisagem de outono tão colorida quanto a de lá. A arquitetura tem muita influência do Império Romano, que dominou a região no passado. Fonte de águas termais – algumas com cheiro de enxofre –, Wiesbaden é famosa por spas e piscinas, e os antigos soldados romanas já iam lá se divertir nas águas quentes. No centro da cidade, é fácil encontrar o Kurhaus, um antigo SPA que hoje abriga um cassino, e ao lado fica o Staatstheater Wiesbaden, o teatro da cidade. No centro também fica a igreja neo-gótica Marktkirche, o Nerotal Park (que tem um lago lindo e é ótimo para caminhar) e o maior relógio cuco do mundo (Die Größte Kuckucksuhr der Welt) – que nem achei lá essas coisas. A igreja russa ortodoxa de Saint Elizabeth é um dos monumentos mais conhecidos e é realmente linda. A parte chata é que há uma placa que diz “turistas não são bem vindos”. Essa igreja fica ao lado do Neroberg, em que há uma vista panorâmica da cidade.

O bom de viajar na Alemanha e na Europa no geral é que o transporte tem qualidade e é sempre fácil encontrar um centro de informações para turistas, por mais “fim do mundo” que seja (como Giessen).

Obs.: Leu? Encontrou algum erro ou quer sugerir algo? Fico feliz se me deixar um comentário – pode falar mal de mim, mas me dá um toque também, por favor.

Beijos

Viagens em Hessen – Frankfurt

Hessen, como já disse antes, é o estado da Alemanha em que eu moro agora. Fica mais ou menos na região central do país. Estudando numa universidade alemã, eu paguei uma taxa de matrícula de 200 euros no início do semestre. Essa taxa me dá direito a matrícula e também a ticket de ônibus e trem (a não ser trem ICE, que é o super rápido) dentro de todo o estado de Hessen. Ou seja, posso andar o quanto eu quiser, para onde eu quiser e quantas vezes eu quiser, sem ter que pagar nada a mais por isso. Aproveitando essa chance, fiz algumas mini-viagens na região. A primeira delas foi para Frankfurt, que fica há 40 minutos de Giessen

Frankfurt am Maim

Frankfurt é a típica cidade metrópole: grande, cheia de prédios altos e com pessoas estressadas andando de um lado pro outro. É o tipo de cidade em que você encontra tudo, até mesmo lojas brasileiras (que eu não visitei, mas sei que tem). O rio Meno (Main, em alemão) atravessa a cidade e é um dos cartões postais do local.

Frankfurt é considerada o coração financeiro da Alemanha e de toda a Europa, já que é sede do Banco Central Europeu. Prédios altos e modernos misturados a edificações antiqüíssimas com arquitetura clássica são comuns por aqui. Em Frankfurt também acontecem vários eventos mundiais, como de automóveis (Internationale Automobil-Ausstellung) que aconteceu pouco antes de eu viajar para a Alemanha, e a feira de livros (Frankfurt Buchmesse), que eu fui e adorei.

Muitos museus interessantes ficam em Frankfurt. Eu fui ao Naturmuseum Senckenberg, que é um museu de história natural e mostra animais e plantas desde eras passadas até os dias atuais. Algumas das principais atrações são os fósseis de dinossauros (muito legais), baleias e elefantes, peixes e répteis. Outro ponto que me interessou era um box que mostrava a evolução de uma gravidez, mostrando o feto desde a primeira semana até o fim da gestação. Para os amantes de biologia, arqueologia e afins, é algo que não se pode deixar de ver.

Há outros museus em Frankfurt que eu não visitei, mas pretendo futuramente, um deles é o de Comunicação e outro o de Filmes. Para quem curte igrejas e aquele estilo de arquitetura alemã bem antiga, Frankfurt também é uma boa pedida.

Nos próximos posts, vou contar sobre as outras cidades que visitei.

Bom resto de final de semana 🙂